Normas de Estágio Supervisionado no CAp-UFRJ
 

 

RESOLUÇÃO DO CONSELHO PEDAGÓGICO nº 01/06


O Conselho Pedagógico, reunido em 14/03/2006, resolve normatizar o Estágio Supervisionado no CAp-UFRJ


Título I : DA FINALIDADE DO COLÉGIO

Art 1º - O Colégio de Aplicação é um órgão suplementar do CFCH da UFRJ que tem como finalidade ensino, pesquisa e extensão na área de educação básica, se constituindo em campo de estágio supervisionado para a formação de profissionais de educação e áreas afins. No que diz respeito à formação inicial destes futuros profissionais, o Colégio de Aplicação tem como função atuar na orientação, supervisão e avaliação do estágio em parceria com a Faculdade de Educação. No que diz respeito à formação continuada, uma outra de suas finalidades reside na participação do Cap na articulação de propostas de trabalho acadêmico a ser desenvolvido com a Faculdade de Educação e os Institutos de origem.


Título II : DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Art 2º - O Estágio Supervisionado tem por objetivo:

proporcionar ao estagiário situações de exercício profissional, possibilitando diálogos entre as dimensões teórica e prática de sua formação;
oferecer oportunidades de participação do estagiário nos projetos de ensino, pesquisa e extensão e nas atividades científicas e culturais do CAp;
integrar social e profissionalmente os estagiários com a comunidade do CAp.
possibilitar a interação dos estagiários e profissionais de diferentes áreas do conhecimento, propiciando experiência de caráter transdisciplinar.
Art 3º - A normatização do estágio tem por objetivo:

informar o estagiário, a Central de Estágio e a Faculdade de Educação das diretrizes do CAp no que se refere aos estágios aqui realizados;
orientar o estagiário na realização de suas atividades no CAp, através de discriminação das funções e atribuições de cada um dos profissionais no processo;
promover o aperfeiçoamento dos estágios realizados no CAp;
uniformizar procedimentos e atividades do estágio supervisionado, nos diferentes setores curriculares do CAp, respeitando as características próprias de cada setor, a fim de conferir aos estagiários uma visão global da filosofia de ensino do CAp.

Título III : DOS RESPONSÁVEIS PELOS ESTÁGIOS

Art 4º - DIRETOR ADJUNTO DE LICENCIATURA, PESQUISA E EXTENSÃO (DALPE) – é docente do CAp-UFRJ designado pela Direção do Colégio, e responsável pela articulação do CAp à Faculdade de Educação e aos Institutos de origem, propondo, acompanhando e apoiando as atividades acadêmicas de estágio relacionadas aos diversos setores curriculares, incluídos os projetos de ensino, pesquisa e extensão, referentes à formação dos profissionais da educação básica.

Art 5º - COORDENADOR ADMINISTRATIVO DE ESTÁGIOS DO CAp (CAE) – é docente ou funcionário de nível superior do CAp-UFRJ, indicado pela DALPE, e responsável pela organização administrativa do estágio, colaborando com a DAE (Direção Adjunta de Ensino), com a Central de Estágios da Faculdade de Educação da UFRJ, com os professores de Prática de Ensino e com os professores regentes do CAp.

Art 6º - ORIENTADOR DE ESTÁGIO: PROFESSOR REGENTE – é docente do CAp-UFRJ que orienta, supervisiona e avalia as atividades desenvolvidas pelos estagiários em turmas do CAp sob sua regência, de forma articulada com os professores de Prática de Ensino. O Coordenador de Setor Curricular ou qualquer outro professor do setor designado para essa função poderá assumir responsabilidades junto aos licenciandos, na impossibilidade mais imediata do professor regente


Título IV : DAS ATRIBUIÇÕES DOS RESPONSÁVEIS PELO ESTÁGIO

Art 7º - O Diretor Adjunto de Licenciatura, Pesquisa e Extensão tem como atribuição:

planejar, com a Faculdade de Educação da UFRJ e com os Setores Curriculares do CAp-UFRJ, as atividades dos estágios a serem desenvolvidas no Colégio de Aplicação;
acompanhar a realização das múltiplas atividades dos estágios no CAp-UFRJ, buscando articular a integração entre elas;
planejar, em conjunto com a Coordenação de Estágio, a recepção aos estagiários do CAp no início de cada semestre letivo;
orientar, acompanhar e apoiar os Setores Curriculares e os estagiários nas atividades e programas suplementares do estágio supervisionado realizados no CAp UFRJ
participar da avaliação dos estágios realizados no CAp-UFRJ com os Setores Curriculares e a Faculdade de Educação;
representar o Colégio de Aplicação da UFRJ nas instâncias colegiadas da UFRJ, bem como em fóruns pertinentes à Licenciatura e aos Estágios Supervisionados.
Art 8º - O Coordenador Administrativo de Estágios tem como atribuição:

organizar cadastro dos estagiários encaminhados ao CAp-UFRJ;
planejar, juntamente com a Direção Adjunta de Ensino (DAE), a distribuição de espaços a serem utilizados pelos estagiários e pelos professores de Prática de Ensino;
informar o estagiário sobre as normas de estágio e de funcionamento pedagógico e administrativo do CAp-UFRJ;
providenciar a documentação de conclusão do Estágio Supervisionado.
Art 9º - O Orientador de Estágio – Professor Regente tem como atribuição:

apresentar ao professor de PE e ao estagiário seu(s) Plano(s) de Curso;
organizar um Plano de Estágio, em colaboração com o professor de Prática de Ensino e o estagiário, que contemple as experiências pedagógicas, em sala de aula e no acompanhamento de outros projetos curriculares;
planejar com o estagiário as atividades de co-participação e regência de turma, contemplando a variedade e a complexidade da experiência didático-pedagógica;
orientar o estagiário no desenvolvimento de suas atividades, atendendo-o em encontros semanais – coletivos ou individuais – com duração mínima de 1(uma) hora-aula;
controlar a assiduidade do estagiário e rubricar o Registro de Frequência/Estágio Supervisionado, encaminhando bimestralmente ao professor de Prática de Ensino e ao Coordenador Administrativo de Estágios, qualquer irregularidade;
avaliar o estagiário, sob sua responsabilidade, durante o desenvolvimento das diversas etapas do estágio, registrando em formulário próprio e encaminhando ao professor de Prática de Ensino toda avaliação efetuada;
participar da avaliação global das atividades do estágio em conjunto com os professores de Prática de Ensino e os estagiários.
informar à DALPE, à CAE e ao professor de Prática de Ensino situações imprevistas ou que não estejam de acordo com as normas do estágio.

Título V : DAS NORMAS PARA O ESTÁGIO

Art 10º - Para realizar estágio no CAp-UFRJ, o estagiário deve estar regularmente matriculado na Universidade Federal do Rio de Janeiro, ou em Instituição Federal de Ensino Superior conveniada que não ofereça campo de estágio em nível de graduação.

Art 11º - A carga horária anual de estágio é de 300 horas e a semestral, de 150, distribuídas entre as etapas de observação, co-participação e regência.

Art 12º - O estagiário só poderá realizar a etapa de regência após avaliação global de sua inserção nas atividades de estágio emitida pelo professor regente.

§ único: Para a realização da Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado (RCC-Requisito Curricular Complementar) é recomendável que o aluno tenha cumprido as exigências de currículo básico no seu instituto de origem, de modo que já possua os pré-requisitos essenciais em sua área de formação.


Título VI : DOS PROCEDIMENTOS PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CAP-UFRJ:

Art 13º - O estagiário deverá ser encaminhado ao CAp com os seguintes documentos:

carta de apresentação da instituição de origem, devidamente assinada pelo professor de Prática de Ensino ou pela Central de Estágio;
modelo de ficha de freqüência;
protocolo de estágio devidamente assinado pelo professor de pe e/ou pela Central de Estágio e pelo estagiário.
Art 14º - O estagiário deverá elaborar um Plano de Estágio, com orientação do professor de Prática de Ensino e do Professor Regente, em que constem o horário do estágio, a relação e o cronograma das atividades a serem desenvolvidas.

Art 15º - O acompanhamento do estágio será feito através de:

encontros semanais de orientação – individuais ou em grupo -, de duração mínima de 1 hora-aula, com o Professor Regente;
registro, em formulários próprios, pelo professor regente e pelo estagiário, das atividades acadêmicas desenvolvidas.
Art 16º - A avaliação do estágio compreenderá:

auto-avaliação do estagiário, em instrumento próprio, por área de habilitação;
avaliação contínua, pelo professor regente, do desenvolvimento do estagiário nas atividades acadêmicas;
avaliação final do Professor Regente, em co-participação com o professor de Prática de Ensino, em instrumento próprio, por área de habilitação;
relatórios finais sobre o estágio supervisionado, em acordo com a orientação da Prática de Ensino e do Professor Regente.

Título VII : DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Art 17º - As atividades de estágio nas turmas do CAp-UFRJ deverão ter um caráter de acompanhamento contínuo e cumulativo, abrangendo pelo menos os três primeiros bimestres do ano letivo.

Art 18º - As atividades de estágio constarão de três etapas obrigatórias : observação, co-participação e regência

Art 19º - Etapa de Observação - o estagiário realizará observação de aulas, fazendo anotações a serem discutidas posteriormente durante a orientação com o professor regente, e, quando houver, com o auxílio de instrumento adequado.

Art 20º - Etapa de Co-participação - as atividades de co-participação compreendem:

Colaboração no planejamento de atividades didáticas, selecionando conteúdos, estratégias e recursos materiais;
Acompanhamento e orientação da turma de estágio em atividades práticas, pesquisas de campo e visitas orientadas a instituições culturais, previamente planejadas com o professor regente;
Orientação individual ou coletiva de alunos, em atividades regulares e/ou de apoio, auxiliado pelo professor regente;
Participação em Conselho de Classe de sua turma de estágio, mediante inscrição prévia na Coordenação Administrativa de Estágios, a partir do segundo bimestre, em caráter de observação, e, a partir do terceiro bimestre, com direito a voz;
Correção de exercícios, trabalhos e provas, desde que sejam discutidos os critérios de avaliação anteriormente à aplicação do instrumento com o professor de Prática e o Professor Regente da turma;
Elaboração e aplicação de atividades relativas ao conteúdo programático da série, assumindo parcialmente a regência da turma;
Participação em projetos de ensino, pesquisa e/ou extensão da área específica de habilitação;
Realização de leituras e fichamentos de textos sugeridos pelo professor regente ou propostos pelo próprio estagiário, na área de habilitação específica ou pedagógica.
Art 21º - Etapa de Regência - as atividades de regência compreendem:

Planejamento e execução de aulas simuladas (pré-regência) individuais e/ou em grupo, orientado pelo Professor Regente e/ou pelo professor de Prática de Ensino;
Planejamento de aulas individuais, orientado pelo Professor Regente e/ou pelo Professor de Prática de Ensino;
Elaboração de um Plano de Unidade e de Planos de Aulas para a realização da regência, que serão documentos obrigatórios e parte integrante da avaliação da etapa de regência;
Execução de aulas teóricas e/ou práticas em turmas do CAp-UFRJ, avaliadas pelo Professor Regente e pelo professor de Prática de Ensino;
A carga horária de regência deverá ser definida pelo setor curricular juntamente com o professor de Prática de Ensino.

Título VIII : DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS:

Art 22º - Durante o ano de 2006 estas normas serão aplicadas, respeitando-se os acordos já estabelecidos para o ano em curso;

Art 23º - Os casos não previstos serão encaminhados ao Conselho Pedagógico do CAp.


Celina Maria de Souza Costa

Diretora Geral do Cap UFRJ

Presidente do Conselho Pedagógico